CSPM participa de programa de formação de jovens em situação de vulnerabilidade

Os princípios e garantias constitucionais e os deveres do Estado com a Educação nortearam a aula que o advogado Thiago Mathias Genro Schneider ministrou para os jovens que participam do Projeto Pescar. Durante quase duas horas, alunos entre 16 e 19 anos acompanharam a fala do representante da CSPM e fizeram questionamentos sobre o tema. A atividade ocorreu na sede do Tribunal Regional do Trabalho em Porto Alegre. O estagiário Pedro Gomes também acompanhou a aula e relatou sua experiência no movimento de ocupação do Direito da Ufrgs em 2016.

O Projeto Pescar é um programa de formação socioprofissionalizante desenvolvido pela Fundação Projeto Pescar, em parceria com a sua rede colaborativa, para o acesso de jovens em vulnerabilidade social ao mundo do trabalho. Hoje, esta rede é composta por 91 unidades e está presente em 10 estados brasileiros. A missão do Projeto é promover oportunidades de desenvolvimento pessoal, cidadania e iniciação profissional para jovens por meio de parcerias com empresas e organizações.

“O cenário atual é de diminuição do orçamento para a Educação com a Emenda Constitucional do teto dos gastos, desrespeito à liberdade de cátedra com a tentativa de imposição de projetos batizados de “Escola sem Partido” e a desvalorização de professores. Portanto, iniciativas que valorizem o papel da Educação são ainda mais fundamentais”, ressaltou Schneider.

Além do Tribunal Regional do Trabalho, também participam do Projeto Pescar o Ministério Público do Trabalho (MPT-RS), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RS) e a Caixa de Assistência aos Advogados (CAA), entre outras instituições e empresas.

Comments are closed.