CSPM organiza painel sobre os reflexos da Reforma da Previdência na vida das mulheres

“Retirar direitos de uma política pública tão importante quanto à Seguridade Social, significa ampliar o fosso da desigualdade entre homens e mulheres, logo, é um retrocesso na nossa luta que é um clamor por igualdade”. Este é um trecho de um recente artigo publicado por Juliane Furno no portal Brasil de Fato. Doutoranda em Desenvolvimento Econômico na Unicamp, a militante do Levante Popular da Juventude será uma das participantes do Painel Mulher, Trabalho e Previdência, que irá ocorrer no dia 22 de março, na UFRGS. Lúcia Garcia, economista do Dieese, também será outra palestrante.

O evento irá debater os reflexos da Reforma da Previdência na vida das mulheres. “O Estado que deveria ser o guardião e zelar pelas políticas públicas que reparam as desigualdades criadas “no mercado”, está atuando no sentido de aprofundá-las, na medida em que desconsidera as especificidades das mulheres dentro e fora do mercado de trabalho”, acrescentou Furno em seu artigo.

Além da discussão, o objetivo do encontro é apresentar dados técnicos para subsidiar entidades sindicais e movimentos sociais nos debates que ocorrerão no Congresso Nacional.

Organizado pelo escritório CSPM Advogados Associados, o painel conta com o apoio da Assurfgs e do Instituto Novos Paradigmas.

Painel Mulher, Trabalho e Previdência , 22 de março, no auditório da FACED, UFRGS, 14 horas-

Os reflexos da Reforma da Previdência na vida das mulheres

Painelistas

Juliane Furno- Doutoranda em Desenvolvimento Econômico UNICAMP

Lúcia Garcia- Economista do DIEESE-

Guilherme Pacheco Monteiro- Advogado CSPM Advogados

Berna Menezes-Representante da ASSUFRGS

Promoção: CSPM Advogados Associados, Instituto Novos Paradigmas e  Assufrgs. Apoio: DCE da UFCSPA

Comments are closed.